quinta-feira, janeiro 26, 2006

Incentivo à natalidade ou...

... como fazer desmaiar uma mulher com um...


... Tripé!!!

Num determinado país foi criado um programa de incentivo à natalidade, pois o número de habitantes estava a cair e a proporção de idosos crescia assustadoramente.

Necessitando de mão-de-obra, o governo decretou uma lei que obrigava os casais a terem um certo número de filhos.

Previa também uma tolerância de cinco anos após o casamento, fim dos quais, o casal deveria ter pelo menos um pimpolho.

Aos casais que no fim do prazo não conseguissem ter um filho, o governo destacaria um agente auxiliar para que a criança fosse gerada.

Neste cenário deu-se o seguinte diálogo entre um casal:

MULHER: Querido, completamos hoje 5 anos de casamento!

MARIDO: É... e infelizmente não tivemos nenhum filho.

MULHER: Será que eles vão mandar o tal agente?

MARIDO: Não sei... talvez mandem.

MULHER: E se ele vier?

MARIDO: Bem,... eu não posso fazer nada.

MULHER: E eu, menos ainda...

MARIDO: Vou sair! Já estou atrasado para o trabalho!

Logo após a saída do MARIDO, bateram à porta: TOC, TOC,TOC!!!

A MULHER abriu e encontrou um HOMEM de boa aparência à espera. Tratava-se de um fotógrafo que saiu para atender uma chamada de uma família que queria fotografar a sua criança recém-nascida, mas que por engano, se encontrava na morada errada.

E o diálogo foi o seguinte:

HOMEM: Bom dia! Eu sou...

MULHER: Ah, já sei! Pode entrar.

HOMEM: Obrigado. O seu esposo está em casa?

MULHER: Não. Ele foi trabalhar.

HOMEM: Presumo que esteja a par.

MULHER: Sim, ele já sabe de tudo. Eu também concordo.

HOMEM: Óptimo! Então vamos começar...

MULHER: Mas... já??? Tão rápido...?

HOMEM: Preciso de ser breve, pois tenho ainda 16 casas para visitar.

MULHER: Meu Deus! O senhor aguenta?

HOMEM: O segredo é que eu gosto do meu trabalho, dá-me muito prazer!

MULHER: Então vamos começar. Como faremos?

HOMEM: Permita-me sugerir: uma no quarto, duas no tapete, duas no sofá.

MULHER: Serão necessárias assim tantas?

HOMEM: Bem, talvez possamos acertar na mosca já na primeira tentativa.

MULHER: O senhor já visitou alguma casa neste bairro?

HOMEM: Não, mas tenho comigo algumas amostras do meu trabalho (mostrou algumas fotos de crianças). Não são lindas?

MULHER: Como são belos estes bébés! Foi o senhor que fez?

HOMEM: Sim. Veja esta aqui, por exemplo, foi conseguida na porta do supermercado.

MULHER: Que horror! O senhor não acha muito público?

HOMEM: Sim, mas a mãe queria muita publicidade...

MULHER: Eu não teria coragem!!!

HOMEM: Esta aqui foi em cima do autocarro.

MULHER: Credo!!!

HOMEM: Foi um dos serviços mais difíceis que já fiz.

MULHER: Claro, eu imagino!

HOMEM: Esta foi feita no Inverno, num parque de Diversões.

MULHER: Credo! Como é que o senhor conseguiu? Não teve frio?

HOMEM: Não foi fácil! Como se não bastasse a neve a cair, tinha uma multidão à minha volta. Quase não consegui acabar...

MULHER: Ainda bem que sou discreta, e não quero ninguém a ver.

HOMEM: Óptimo! Eu também prefiro assim! Agora, se me dá licença, eu preciso armar o tripé.

MULHER: Tripé???

HOMEM: Sim, Madame, pois esta coisa, além de pesada, depois de armada mede quase um metro.

A mulher desmaiou...

... e ele...

... não tirou fotografias!!!

A

looooolllllllll

AA

Beijo-vos a TODOS, J.

A

(Por alguma razão devemos SEMPRE perguntar "Quem é?" antes de abrir... ;o))

quarta-feira, janeiro 25, 2006

O homem e...

... a avestruz:

Um homem entra num restaurante com uma avestruz atrás dele. A empregada pergunta o que querem.

O homem pede:
"Um hamburguer, batatas fritas e uma coca-cola, por favor!".

E vira-se para a avestruz:
"E você, o que vai querer?"
"Eu quero o mesmo!", responde a avestruz.

Um tempo depois a empregada traz o pedido e a conta no valor de 12,50€.

O homem coloca a mão no bolso e tira o valor exacto para pagar a conta.

No dia seguinte, o homem e a avestruz retornam ao restaurante e o homem pede:
"Um hamburguer, batatas fritas e uma coca-cola, se faz favor! ".

A empregada volta-se novamente para a avestruz:
"E você, o que vai querer?
"Eu quero o mesmo!", responde a avestruz.

Após receber a conta, novamente o homem coloca a mão no bolso e tira o valor exacto para pagar.

Isto torna-se uma rotina até que um dia a empregada pergunta:
"Vão querer o mesmo?"
"Não, hoje é sexta-feira e eu quero um fillet à francesa com salada!", diz o homem.
"Eu quero o mesmo!", diz a avestruz.

Após trazer o pedido, a empregada traz a conta e diz:
"Hoje são 24,30€."
O homem coloca a mão no bolso e tira o valor exacto para pagar a conta, colocando-o em cima da mesa.

A empregada não controla a sua curiosidade e pergunta:
"Desculpe, senhor, mas como é que o senhor faz para ter sempre o valor exacto a ser pago?"

E o homem responde:
"Há alguns anos atrás eu achei uma lâmpada velha e quando a esfregava, para limpar, apareceu um génio e me ofereceu 2 desejos. O meu 1º desejo foi que eu tivesse sempre no bolso o dinheiro que precisasse para pagar o que eu quisesse.”

"Que ideia brilhante!", disse a empregada. "A maioria das pessoas deseja ter um grande valor em mãos ou algo assim, mas o senhor vai ser tão rico quanto quiser, enquanto viver!"
"É verdade! Tanto me faz se eu for pagar um litro de leite ou um Ferrari porque tenho sempre o valor necessário no bolso.", respondeu o homem.

Ainda com alguma curiosidade e mais atrevimento, a empregada pergunta:
"Agora, o senhor pode explicar-me a avestruz?"

O homem faz uma pausa,... suspira... e... responde:

"O meu 2º desejo foi ter como companhia alguém com um rabo grande e pernas compridas, que concordasse comigo em tudo..."

A
looooolllllllll
AA

(e este? quantas vezes terá repetido o mesmo desejo???)
A
Beijo-vos a TODOS, J.
A
(a cara dele... diz tudo! lol ;o))

segunda-feira, janeiro 23, 2006

O segredo dumas...

... calças castanhas!!!

Napoleão Bonaparte, durante as suas batalhas usava sempre uma camisa de cor vermelha.

Para ele, era importante, porque se fosse ferido, na sua camisa vermelha, não se notaria o sangue e os seus soldados não se preocupariam e também não deixariam de lutar.

Toda uma prova de honra e valor.


Duzentos anos mais tarde, Fócrates-o-Zé, usa sempre calças castanhas!!!

E fica tudo dito...
A
looooolllllllll
A
A
Beijo-vos a TODOS, J.
A
(Eu, cá, só escrevo a castanho! Será para dar cor a qualquer... asneira??? ;o))

sexta-feira, janeiro 20, 2006

Já me esquecia de dizer que...

(é que hoje NÃO TENHO que pôr o despertador!!!)
A
looooolllllllll
A
A
Beijo-vos a TODOS, J.
A
(Como eu ADORO perspectivar o dia de amanhã: nada para fazer e a seguir...
... descansaaaar!!! ;o))

A "digressão"...

... acaba hoje!

E o 5º elemento? Onde é que está o 5º elemento?
A
Deve ser o...
A
... Crómio!!!
A
Não?...
A
A
looooolllllllll
AA
Beijo-vos a TODOS, J.
A
(Obrigada, TL, por mais este!... ;o))

quarta-feira, janeiro 18, 2006

Teodoro,...

... não vás ao sonoro!!!

C'est moi Laurel
C'est toi Hardy
C'est toi le gros et moi le petit
C'est moi Laurel
C'est toi Hardy
Et nous sommes de bons amis
A
Quand un y va, l'autre le suit
Toujours ensemble, toujours unis
On se dispute mais qu'est-ce qu'on rit
Nous sommes Laurel et Hardy
A
Quand je fais une grosse bêtise je me mets vite à pleurer
(parce que j'ai peur de me faire disputer)
Quand tu fais une grosse bêtise je me mets vite à crier
Mais je t'ai vite pardonné, je ne suis pas rancunier
A
C'est moi Laurel
C'est toi Hardy
Nous sommes Laurel et Hardy
A
looooolllllllll
AA
Beijo-vos a TODOS, J.
A
(qualquer semelhança... será pura coincidência??? ;o))

terça-feira, janeiro 17, 2006

Causas,efeitos secundários e soluções...

... para o consumo excessivo de álcool:


(porque é necessario informar as pessoas!...)

A

Este manual pode salvar vidas!!! (Incluindo a tua. Por favor usa-o!)

A
1. Sintoma: Pés húmidos e frios.
Causa: Estás a agarrar o copo com um ângulo incorrecto.
Solução: Vai virando o copo até a parte aberta ficar virada para cima.
A
2. Sintoma: Pés quentes e molhados.
Causa: Já te mijaste.
Solução: Procura a casa de banho mais próxima e seca-te.
A
3. Sintoma: A parede à tua frente está cheia de luzes.
Causa: Caíste de costas.
Solução: Posiciona o teu corpo 90º em relação ao chão.
A
4. Sintoma: Tens a boca cheia de beatas de cigarros.
Causa: Caíste com a fronha dentro do cinzeiro.
Solução: Cospe e enxagua com um bom gin tónico.
A
5. Sintoma: O chão está desfocado.
Causa: Estás a olhar através de um copo vazio.
Solução: Enche o copo!!!
A
6. Sintoma: O chão está a mexer-se.
Causa: Estás a ser arrastado.
Solução: Pergunta, ao menos, para onde é que te estão a levar. Caso seja para outro bar, está tudo bem; no caso contrário, manifesta-te!
A
7. Sintoma: Reflexo de caras a olhar para ti através da água.
Causa: Estás no lavatório a tentar ir ao gregório.
Solução: Mete o dedo na garganta (claro!).
A
8. Sintoma: Ouves as pessoas a falar com um estranho eco.
Causa: Tens o copo na orelha.
Solução: Desloca o copo até encontrares a boca! Atenção que poderás ter que repetir o movimento no sentido contrário!
A
9. Sintoma: A discoteca mexe-se muito, toda a gente está vestida de branco e a música já começa a ser repetitiva.
Causa: Estás numa ambulância.
Solução: Não te mexas: possível coma alcoólico.
A
10. Sintoma: O teu pai parece chateado e os teus irmãos olham para ti como se não soubessem quem tu és.
Causa: Estás na casa errada!!!
Solução: Pergunta se sabem onde fica a tua.
A
11. Sintoma: Um enorme foco de luz do disco quase te deixa cego.
Causa: Estás a arrochar no meio da rua e já amanheceu.
Solução: Café e uma boa sorna.
A
PS: Não guardes esta informação só para ti! Partilha-a com os teus amigos, eles hão-de agradecer-te!
A
looooolllllllll
AA
Beijo-vos a TODOS, J.
A
(eu... já estou a cumprir com a minha parte: estou a divulgar!!! ;o))

sábado, janeiro 14, 2006

Um consolo para...

... os mais "Antigos":

Aos 80 anos de idade, Mário casou-se com Ana, de 25.

Devido ao marido ser tão idoso, ela decide que o melhor é dormirem em quartos separados.

Terminada a festa do casamento, cada um vai para o seu quarto.

Ana prepara-se para se deitar, quando ouve pancadas fortes na porta. As pancadas insistem e Ana vai abrir.

Ao abrir a porta, ela depara-se com Mário, com seus 80 anos.

Tudo corre bem e, após uma relação quente e vigorosa, Mário despede-se e vai para seu quarto.

Passados alguns minutos, Ana ouve novas pancadas na porta do quarto...

É Mário! E novamente pronto para a acção!...

Ela surpreende-se, mas deixa-o entrar. Terminada a relação, Mário beija-a carinhoso e despede-se, indo para o seu quarto.

Ana prepara-se novamente para dormir, quando volta a ouvir fortes pancadas na porta.

Ana abre e, espantada, depara-se com Mário, com aspecto vigoroso e renovado. Fica atónita!

E diz:

- Estou impressionada! Como é que, com a idade que tens, consegues "repetições" com esta frequência? Já estive com homens com um terço de tua idade e eles contentavam-se apenas com uma vez. Tu, Mário, és mesmo um grande amante!

Desconcertado, ele pergunta:

- Mas... Eu já estive aqui antes?

Moral da história:

Não se assuste com a velhice: o Alzheimer tem suas vantagens!!!
(A propósito,...
... será este Mário, o Mário da história?...)
A
looooolllllllll
AA
Beijo-vos a TODOS, J.
A
(... a "cortir" o fim-de-semana! Yessss!... ;o))

quinta-feira, janeiro 12, 2006

Esta já é "velhinha", mas...

...nem por isso desactualizada!

A
looooolllllllll
AA
Beijo-vos a TODOS, J.
A
(... e o fim-de-semana está quase!... ;o))

segunda-feira, janeiro 09, 2006

Divisão de Tarefas!...

Homens...


...SAIAM!!!
(é que este post pode ter conteúdos ou imagens consideradas chocantes para seres tão sensíveis!...)
o
A
Um casal - marido e mulher - foram ao hospital porque tinha chegado a hora do nascimento do seu primeiro bebé.
A
Quando deram entrada no hospital, o médico que se encontrava de urgência no Serviço de Maternidade informou-os de que tinha sido inventada uma máquina que dividiria as dores do parto entre os pais da criança e que se encontrava em fase de teste.
A
Perguntando se eles queriam experimentar o novo invento, de pronto obteve aceitação do casal, uma vez que ambos eram apologistas da filosofia de "Divisão de Tarefas" entre um casal.
A
O médico regulou a máquina para transferir somente 10% da dor para o pai, dizendo que seria o bastante, pois sendo um homem ele não conseguiria suportar mais do que isso.
A
A mulher começou o trabalho de parto e o marido estava a sentir-se muito bem.
A
Assim, resolveram aumentar a taxa de dor para 20%, e o marido continuava bem. Não podia ser...
A
O médico, intrigado, mediu a tensão arterial, conferiu o coração e até fez um C.T.G. ao marido e... tudo estava normal. Continuava normal!!! Como? Mas... COMO???
A
Então, resolveu ir aos 50%. (Era agora: ele ía começar a... MORRER!!!)
A
Depois de um tempo, o bebé estava quase, quase a nascer e, como o marido continuava bem (Oh, MEU DEUS!!! Não era normal: Continuava... BEM?!), resolveram transferir a dor do parto em... 100% para o marido e proporcionar à mulher um parto verdadeiramente sem dor.
Desta forma, a mulher teve o bebé super tranquila. Ela e o marido estavam muito felizes. Tudo correu muito bem e o marido esteve SEMPRE bem até ao fim e até mesmo depois de tudo ter acabado! Caso único no MUNDO!!! Digno de Guiness!...
A

Ao chegarem em casa,...
... encontraram o vizinho morto na varanda!

looooolllllllll

AA
Beijo-vos a TODOS, J.
(... outra vez a "sonhar" com o fim-de-semana!... ;o))